Educação e consciência financeira

Educação e consciência financeira

Neste período de isolamento social muitas pessoas viram sua única fonte de renda desaparecer e precisaram reavaliar os gastos mensais e fazer ajustes nas contas. Por isso, o planejamento financeiro é tão importante. Com esse controle, é possível identificar o quanto de dinheiro entra e o quanto sai da sua conta, elencar os gastos fixos e ter sempre uma porcentagem para os gastos inesperados. Saber gastar bem e conhecer os passos para quitar dívidas, caso seja necessário fazê-las, é também uma forma de viver bem, independentemente das condições do momento.

Mas, se a teoria parece fácil, a prática mostra que é ainda complicado manter as contas em dia. Diversos indicadores e pesquisas mostram como a falta de conscientização financeira atrapalha a vida dos brasileiros. Segundo pesquisa do CNDL/SPC Brasil, 48% dos brasileiros não controlam o seu próprio orçamento. Ainda segundo dados do SPC Brasil, no ano passado, 70% dos brasileiros atrasaram pelo menos uma conta e 47% tiveram o nome negativado.

 Vale ressaltar que o planejamento financeiro é parte da educação financeira. O planejamento acontece no âmbito individual, enquanto a educação financeira acontece no coletivo. Segundo a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) de 2005, educação financeira é “o processo mediante o qual os indivíduos e as sociedades melhoram a sua compreensão em relação aos conceitos e produtos financeiros, de maneira que, com  informação, formação e orientação, possam desenvolver os valores e as competências necessários para se tornarem mais conscientes das oportunidades e riscos neles envolvidos e, então, poderem fazer escolhas bem informadas, saber onde procurar ajuda e adotar outras ações que melhorem o seu bem-estar. Assim, podem contribuir de modo mais consistente para a formação de indivíduos e sociedades responsáveis, comprometidos com o futuro".

Ou seja, é possível ter as finanças pessoais em dia, porém não ser educado financeiramente, não ter consciência do todo. Por isso que muitos educadores defendem a educação financeira nas salas de aula. Porque o indivíduo que tem que ter consciência financeira desde cedo, para que lá na frente, quando começar a gerar receita, possa então fazer o seu planejamento financeiro.


Compartilhe: