Cinco passos para iniciar um planejamento financeiro eficiente   

Cinco passos para iniciar um planejamento financeiro eficiente  

Um dos grandes tabus do planejamento financeiro é as pessoas acharem que é preciso ter muito dinheiro para fazê-lo. Nada disso! O planejamento é parte da educação financeira, ou seja, trata-se da sua consciência sobre o dinheiro e como ele pode trabalhar por você no futuro.

Listamos cinco passos iniciais para adquirir consciência financeira e começar (pra ontem) o seu planejamento de longo prazo.

 

Coloque suas dívidas em uma planilha

A primeira tarefa para deixar as contas em dia é saber como seu dinheiro está sendo usado. Anote todas as compras feitas no mês e entenda quais são os seus gastos e separe por prioridades. Veja com o que pode ser cortado, exemplo: o cafezinho ou ir ao cinema no fim de semana.

Nunca gaste o dinheiro antes de tê-lo

Hoje, o cartão de crédito é um dos principais responsáveis pelo endividamento. Juros elevados, taxas de manutenção muito caras aliadas à facilidade de parcelamento, crédito pré-aprovado imediato, aceitação universal fazem com que o cartão de crédito vire um problema desagradável no fim do mês. Por isso, tenha sempre à mão o quanto tem sido gasto com esse meio de pagamento e estabeleça limites no mês.

Planeje compras grandes

Pretende reformar a casa? Comprar um carro novo? Fazer uma grande viagem? A nossa dica é: organize-se, e, entenda todos os resultados para elaborar um plano que possa se adequar aos seus objetivos de curto, médio e longo prazo. Pense bem em como irá adequar os custos ao seu orçamento. Dívidas que exijam meses de compromisso precisam ser calculadas, de modo a não comprometer o orçamento pessoal.

Tenha cuidado com o empréstimo consignado

Segundo o Banco Central, o crédito consignado é o que mais cresceu entre as linhas de crédito. Ao verificar os saldos já comprometidos para pagamento aos credores, a modalidade para aposentados e pensionistas do INSS foi a que apresentou o maior crescimento, totalizando um aumento de 562% nos últimos 12 anos. Isso mostra como os créditos consignados podem ser extremamente vantajosos às instituições financeiras, mas não necessariamente aos consumidores, que têm boa parcela da sua renda comprometida por um longo período - cerca de 5 anos e 6 meses e, no caso de funcionários públicos, em torno de 7 anos e 11 meses. Por isso, mesmo com os juros baixos, é preciso ponderar muito antes de aderir a um empréstimo consignado.

Abasteça um fundo de emergência

Assim que as contas estiverem em dia, é hora de colocar em prática o último passo para manter a sua situação financeira equilibrada: planeje para não passar mais apertos no futuro. A nossa dica é: guarde uma quantia mensal é uma forma de se precaver de imprevistos, como desemprego ou problemas de saúde.

 


Compartilhe: